Navigation
Mapa
Currículo sem Fronteiras
 
   
 Revista para uma educação crítica e emancipatória   ISSN 1645-1384

Políticas de currículo em Portugal e (im)possibilidades da escola se assumir como uma instituição curricularmente inteligente

Carlinda Leite

Veja o Artigo

Resumo

Como o próprio título deste texto indicia, a sua intenção é analisar algumas das medidas das políticas curriculares que têm ocorrido em Portugal nestes últimos anos, no sentido de conhecer as condições que oferecem para que as escolas mobilizem o seu potencial de inteligência na identificação dos problemas que as afectam e, a partir deles, organizem processos para sobre eles intervir. Dessas políticas, são principalmente focadas as que ocorreram ao nível da reorganização curricular do ensino básico instituída nesta transição de século, e que veicula discursos que fazem da escola e dos seus professores/educadores, local e agentes de decisão curricular. Tendo como cenário de fundo as políticas de currículo que têm vindo a marcar os quotidianos escolares, são também objecto de atenção neste texto medidas tomadas pelo Ministério da Educação neste último ano (2005/06) que ampliam substancialmente as obrigações dos professores para ser garantido o funcionamento da escola pública a tempo inteiro e o preenchimento integral do horário escolar dos alunos.

 

 

 
 
Todos os direitos reservados - Currículo sem Fronteiras 2011. Na eventualidade de enfrentar problemas no acesso a esta página, contate: webmaster@curriculosemfronteiras.org
 
 
       
English Busca Sugestões