Navigation
Mapa
Currículo sem Fronteiras
 
   
 Revista para uma educação crítica e emancipatória   ISSN 1645-1384

Gramsci e a educação popular na América Latina - Percepções do debate brasileiro

Raymond A. Morrow e Carlos Alberto Torres

Veja o Artigo

Resumo

Este artigo argumenta que a contribuição de António Gramsci tem sido central nos trabalhos de intelectuais, profissionais de ONG’s, professores e activistas sociais no contexto da educação popular na América Latina. A educação popular é definida como um paradigma político-educativo, teórico e metodológico que emergiu na região com notável força nos anos 60 e alcançou repercussão internacional com o trabalho de Paulo Freire. Focada no activismo político e na organização das classes subalternas na América Latina, os seus objectivos de promover justiça social e a sua orientação metodológica, próxima do que é conhecido como “construtivismo”, a educação popular esteve sempre mais associada a formas de educação não-formal do que ao ensino. Após fornecer os antecedentes da experiência histórica de Gramsci e as suas implicações na educação “per si”, na conclusão, este artigo foca o debate acerca da educação popular no Brasil, e, particularmente, como é que este paradigma teórico e metodológico foi considerado para implementação nos contextos escolares.

 

 

 
 
Todos os direitos reservados - Currículo sem Fronteiras 2011. Na eventualidade de enfrentar problemas no acesso a esta página, contate: webmaster@curriculosemfronteiras.org
 
 
       
English Busca Sugestões