Navigation
Mapa
Currículo sem Fronteiras
 
   
 Revista para uma educação crítica e emancipatória   ISSN 1645-1384

Desejo e Currículos e Deleuze e Guattari e...

Janete Magalhães Carvalho

Veja o Artigo

Resumo

Objetiva debater, de modo ensaístico, como os processos de agenciamento coletivo do desejo interferem na constituição do comum nos currículosexperienciados no cotidiano escolar. Aborda o desejo coletivo [comum] como um devir minoritário no sentido da (re)existência às forças biopolíticas, propondo um currículo fundado no agenciamento da alegria, da ultrapassagem da passividade para a ação nos processos de tomada de decisão e de inventividade cotidiana. Problematiza, no plano de composição e imanência dos currículos escolares, os entrecruzamentos entre a biopolítica e a biopotência, assim como analisa os possíveis para o estabelecimento de um comum que se faça comunidade exercitada como singularidade e multiplicidade. Aposta em uma concepção de currículo que, para além de uma política da identidade e da representação, busque, na potência ampliada de composições entre conhecimentos, linguagens, semióticas e afetos-afecções, a constituição de uma comunidade escolar na qual os potencialmente interessados no coletivo e na defesa de espaços públicos singulares estejam envolvidos/enlaçados pelo agenciamento do desejo comum: um desejo que não é forma, mas processo compartilhado.

 

 

 
 
Todos os direitos reservados - Currículo sem Fronteiras 2014. Na eventualidade de enfrentar problemas no acesso a esta página, contate: webmaster@curriculosemfronteiras.org
 
 
       
English Busca Sugestões